02 outubro, 2007

Gente acéfala!!!


Mais ou menos a meio do Verão, trouxe para casa um Aloe arborescens que encontrei na rua, alguém o tinha deitado fora. Tive pena do desgraçado e pensei que o podia recuperar, afinal parecia ter apenas as folhas queimadas pelo sol. Para resumir a história, o problema dele não era sol a mais, mas sim uma doença qualquer e tive mesmo que me desfazer dele. O pior foi que dois dos meus aloes, perfeitamente saudáveis até então, contrairam a maleita e estão uma lástima como se pode ver na foto.

Eu sei que devia ter sido mais cuidadosa, devia ter respeitado um período de quarentena até o juntar às outras plantas em segurança. A culpa é minha e de mais ninguém. Dizem que é com os erros que se aprende... E eu aprendi!

Agora, quem é que deixa uma planta doente, no meio da mata, na iminência de contagiar as outras plantas ao seu redor. A falta de "tino" das pessoas é desmedida!!!

Não seria tão mais simples cortar a planta em pedacinhos, para caber dentro dum saco de lixo, e despejar tudo no contentor do lixo orgânico??? Eu acho que sim! Mas parece que há quem ache mais fácil ir até à mata mais próxima!!! Enfim!!!

Estou piursa!!!

4 comentários:

ez disse...

Parabéns pelo Blog!!!


Quanto ao trazer bichos, "com bichos" para dentro de casa/jardim... é tramado! :(
Já me aconteceu trazer de um viveiro uma planta CHEIA de conchinilha nas raízes...
Também não foi nada agradável!...

zazika disse...

Pois é! É mesmo tramado! Anda uma pessoa a cuidar dos "rebentos" com tanto carinho para depois acontecerem estas desgraças!!

Espaço do João disse...

Peço perdão , mas a melhor maneira não é enviar essas plantas para os lixos organicos mas, isso sim, fazer uma cremação. Todas as plantas que estejam doentes nunca devem ser colocadas no lixo mas sim cremadas. Cumprimentos João

zazika disse...

Olá João, antes de mais muito obrigada pela visita.

Realmente o que diz faz todo o sentido. A forma mais segura é sem duvida cremar. Mas é um processo mais complicado e pode até tornar-se perigoso se não se reunirem as condições ideais para o fazer. Por exemplo, como é que se faz isso num apartamento? Não me parece completamente incorrecto juntar ao lixo orgânico. Vão para lá as mais diversas porcarias... porque não umas pragas?

Abraço!